Por Nazeem Muhajarine, Jessie Forsyth, Denise Kouri e Don Kossick

Após sete bem-sucedidos anos de implementação das suas actividades, o Projecto de Saúde Materna Moçambique-Canadá termina a 30 de Junho corrente. Nesta última semana, enviámos o nosso relatório final, descrevendo as actividades realizadas e seus resultados, e nele também reflectimos sobre o nosso sucesso. Estamos orgulhosos dos nossos esforços.

Como resultado do nosso projecto comunidades fortalecidas trabalham lado a lado e em conjunto com um fortalecido sistema de saúde em 20 comunidades parceiras na província de Inhambane para tornar a gravidez e o parto mais seguros.

Aumentamos a participação das mulheres na liderança das suas comunidades e contribuímos para o seu empoderamento e respeito. Contribuímos também para o bem-estar social e económico da mulher por meio de microprojectos e discussões comunitárias sobre o seu papel na comunidade. Também apoiámos mulheres grávidas por meio da educação e facilitação do acesso aos serviços de saúde.

Os comentários destas duas mulheres são uma ilustração da gama de intervenções que tiveram lugar:

“[Eu apreciei a] ajuda para ir às consultas pré-natais. E ter sido ensinada a usar uma rede mosquiteira para prevenir a malária… E para esperar o parto na Casa-de- Espera para a Mulher Grávida…. Fiquei feliz por ter um moedor [de farinha], porque desse modo não precisaria mais de fazer trabalho pesado, e a ambulância motorizada, para transportar pessoas doentes, especialmente mulheres grávidas.”

“[Participar no projecto] me ajudou muito, havia coisas que, mesmo sabendo que eram erradas, eu podia ter medo de contar a minha filha, mas hoje com as conversas que tivemos, sinto que devo ter coragem de falar porque é a maneira certa. Tenho que falar com outras mães para que elas também saibam o que falar com suas filhas.”

Histórias contadas no terreno, indicam que a nossa contribuição está a fazer uma diferença importante na vida das mulheres. Ao nível comunitário o trabalho dos membros do comité de saúde que de modo bem-sucedido orienta e apoia mulheres e seus familiares na buscar cuidados pré-natais e na importância de dar parto nas unidades sanitárias, é evidenciado contado na seguinte história:

Uma mulher de 29 anos estava à espera do seu terceiro filho, sozinha, e com medo de dar à luz num centro de saúde e na sua falsa crença de ser forçada a passar por uma cesariana. Seus outros dois filhos nasceram em casa, e a exclusão social pela qual ela passou, criou barreiras para buscar assistência médica qualificada. Mas, através de uma discussão com membros do comité de saúde, ela — com o apoio de um líder religioso da comunidade — decidiu viajar para a unidade de saúde mais próxima, onde seu bebê nasceu sem complicações. Ela continuou a receber cuidados pós-parto lá, criando confiança pelo sistema de saúde e seus benefícios.

Ao longo dos sete anos treinámos e apoiamos profissionais de saúde no aperfeiçoamento das suas habilidades e atitudes. No meio do projecto, a Direção Provincial de Saúde de Inhambane relatou que mortes maternas por hemorragia relacionada à gravidez, parto e pós-parto, diminuíram como resultado do treino e dos materiais fornecidos pelo projecto às unidades sanitárias da província. Também recebemos relatórios de gestores de unidades sanitárias de que mais profissionais de saúde estavam de um modo bem-sucedido a fazer a ressuscitação de recém-nascidos como resultado da formação contínua e prática e no local de trabalho oferecida pelo projecto. E ainda, os relatórios dos comités de saúde comunitários indicaram que, como resultado das actividades de envolvimento comunitário, um número crescente de mulheres procura cuidados pré-natais de imediato, e ter partos institucionais. As mudanças descritas são a evidência das conquistas significativas alcançadas no apoio à melhoria da saúde sexual, reprodutiva, materna e neonatal (SSRMN) e atestam a qualidade de nossa formação clínica contínua e comportamental/atitude, a vontade dos profissionais de saúde em melhorar a sua prática e aprofundar abordagens humanizadas e sensíveis ao género para assistência às comunidades – particularmente ao lidar com complicações obstétricas e oferecer cuidados de emergência ao recém-nascido – e o crescente compromisso dos membros da comunidade na promoção e procura de atendimento institucional.

Novas instalações de saúde foram construídas, equipadas e operacionalizadas com sucesso em sete diferentes locais num momento oportuno e de modo económica, incluindo a conclusão de uma série de componentes adicionais que fortalecem a prestação de cuidados de SSRMN. Em conjunto, 40 comités comunitários de saúde e juventude considerados fortes, estão a lideram o trabalho de construção de comunidades sensíveis às questões do género que situa a nova infraestrutura de saúde dentro de contextos comunitários alertas para os determinantes sociais da saúde e a necessidade de cuidados humanizados e sensíveis ao género.

Temos satisfação em saber que as melhorias continuarão para além da vida do projecto e assumirão uma variedade de formas. O projecto influenciou uma gama abrangente de actividades que estabeleceram a base para a melhoria da SSRMN com impactos mais extensivos: desde a prática de saúde com base no envolvimento comunitário, até ao treinamento de habilidades e construção de sistemas para o empoderamento das mulheres e raparigas e a promoção mais ampla da saúde e direitos sexuais e reprodutivos dentro e além dos cuidados de saúde. 

Em conjunto, gestores de saúde encontram mais e melhor acesso a informações sensíveis às questões do género geradas pelo projecto que apoia a reflexão sobre e para intervenções aprimoradas nos níveis comunitário, distrital e provincial.

Uma pesquisa de intervenção foi realizada junto com o trabalho de fortalecimento do sistema comunitário e de saúde, e teve foco nas experiências maternas das mulheres, near-miss materno e casas-de-espera para a mulher grávida. Estas pesquisas trouxeram uma rica compreensão do estado de saúde materna na província. Todas estão em andamento. Os resultados da pesquisa alimentaram de volta as actividades em curso, impulsionando ainda mais as intervenções baseadas em evidências, por um lado, e por outro, levaram a produção de mais de uma dúzia de publicações, apresentações e diálogos de políticos e artigos de revisão por pares.

REFLECTINDO SOBRE A NOSSA PRÁTICA

No nosso relatório, identificámos algumas práticas-chave que contribuíram para o sucesso do projecto.

Empoderamento da mulher

A principal premissa deste projecto era que o empoderamento da mulher é essencial para melhorar a saúde sexual, reprodutiva, materna e neonatal. Portanto, as práticas feministas foram importantes na implementação do projecto. Na abordagem feminista do projecto identificámos os seguintes elementos:

• Atenção à participação das mulheres em todos os níveis do projecto

• Integração das ideias sobre a igualdade das mulheres em todas as actividades

• Escutar as mulheres, buscando suas contribuições sobre questões que impactam as suas vidas

• Abordagem baseada em direitos para educação em saúde sexual

Prática colaborativa

Outro valor-chave na abordagem do nosso projecto foi a colaboração. Identificamos os seguintes elementos:

• Construção de confiança e de credibilidade

• Engajamento na gestão e melhoria da qualidade e diálogos em políticas

• Apoiar os profissionais de saúde nas suas necessidades e infraestrutura

Envolvimento comunitário

No nível da comunidade, identificámos os seguintes elementos do envolvimento da comunidade:

• Apoio da liderança da comunidade, incluindo a liderança feminina

• Integração do desenvolvimento económico

• Aumento da participação de jovens adultos

Flexibilidade para atender às necessidades em treino

No desenvolvimento de habilidades, tentamos nos manter flexíveis. Por exemplo, através de:

• Adaptação de uma nossa metodologia de treino em formação contínua; fazendo mais treinamento no local

• Combinando treino com o suporte de infraestrutura

Habilidades e dedicação da equipe moçambicana

O sucesso deste projecto se deve à dedicação e às habilidades da nossa equipa moçambicana, liderada por Ruta Massunguine, Argentina Munguambe, Horácio Mandevo e António Tanda. Nossa equipe tem um vasto conhecimento, experiência e habilidades em formação contínua em saúde materna e reprodutiva, envolvimento e desenvolvimento da comunidade, construção de unidades de sanitárias, treino e gestão do sistema de saúde e gestão de microprojectos. O comprometimento deles com os valores do projecto cria confiança e relacionamentos positivos com parceiros institucionais e comunitários. Isso inclui nossa equipa de trabalhadores de apoio comunitário e motoristas cujo trabalho em alcançar locais e áreas remotas foi inestimável.

MAPA DO TEMPO DO PROJECTO

As figuras abaixo fornecem uma visão geral do mapa do tempo do projecto ao longo dos sete anos, com a figura inferior mostrando como as actividades multissetoriais sobrepostas se complementaram para atingir os resultados do projecto que, em última análise, levam a mulheres, famílias e comunidades mais saudáveis.