Algumas considerações de Nazeem Muhajarine, Investigador principal, Projecto Saúde Materna Moçambique-Canadá  

Não é comum que um navio-cruzeiro mude da sua direcção quase que instantaneamente, tal como uma lancha pode o fazer. Mas foi exactamente isso que o Projecto de Saúde Materna Moçambique-Canadá fez quando o Global Affairs Canada (GAC) em Fevereiro último nos solicitou a efectuar uma visita ao nosso projecto em Inhambane, a qual ia decorrer em meados de Março do presente ano. A solicitação é feita quando estamos há escassos dez dias do fim das actividades programadas pelo nosso projecto.

A partir da esquerda António Tanda, Nazeem Muhajarine, Claudia Theriault (GAC, Ottawa), Trish Lang (Alto Comissariado Canadiano, Maputo), Daniel Chapo (Governador, Província de Inhambane), Marni Davidson (GAC, Ottawa), Mbate Matandalasse, Naftal Matusse (Director Provincial da Saúde), Horácio Mandevo.

A equipa composta por quatro membros, a saber, dois funcionários seniores do GAC em Ottawa escritório-sede e dois profissionais de saúde do Alto Comissariado do Canadá em Maputo iniciou a sua visita com a equipe do projecto, onde este deu uma visão abrangente das conquistas, desafios e principais factores de sucesso do projecto na criação de uma parceria internacional duradoura.

Após este momento de contextualização e visão geral do projecto, ora a findar, seguiram-se as visitas ao Distrito de Morrumbene, onde especificamente teve lugar um encontro com o Administrador do Distrito, visita à comunidade de Savanguane, ao Centro de Saúde-sede de Morrumbene e ao complexo da Unidade Sanitária Rural de Murie, este último construído pelo projecto. No terceiro e último dia da visita, os hóspedes tiveram um encontro com o Governador da Província de Inhambane, o Director Provincial de Saúde, onde teve lugar uma discussão mais aprofundada com a equipa do projecto sobre as conquistas do projecto.

E por falar em conquistas do projecto, não é fácil resumí-las em uma meia dúzia de parágrafos. Em três áreas estratégicas (comunidades, sistema de saúde, investigação e divulgação), trabalhámos com 18 resultados reportáveis (abrangendo mais de 70 indicadores). Quando reportamos em Novembro de 2023, em meados do ano 7, tínhamos atingido ou ultrapassado a maioria das metas que tínhamos primordialmente estabelecido no início do projecto.

Seria interessante tomar em consideração o que identificámos como cinco factores de sucesso para parcerias internacionais duradouras, como é exemplificado pelo nosso projecto.

Primeiro, Longevidade – o que quero dizer, que temos um compromisso a longo prazo de trabalhar em Moçambique. Este não é um trabalho de apenas uma vez e baseado em projectos, mas sim o reflexo de que estamos preparados para desencadear esforços conjuntos, com base nos sucessos e lições do passado.

Em segundo lugar, Compromisso – a entrega da liderança local e internacional tem sido fundamental para o sucesso do nosso projecto. Organizações e comunidades, a vários níveis (nas comunidades onde trabalhamos, aos níveis distritais e provinciais, a nível nacional em Moçambique, na Universidade de Saskatchewan e na Global Affairs Canada) uniram-se para ver o projecto ser concluído.

Dr. Muhajarine traz saudações a Savunguane
Líder da comunidade Savunguane apresenta o relatório de actividades
Membro da comunidade Savunguane com equipamento do projecto

Terceiro, Abertura à adaptação e à mudança tem sido um factor de sucesso fundamental. Por exemplo, a pandemia da COVID-19 retardou o trabalho de muitas ONGs e parceiros de cooperação e desenvolvimento em Moçambique. No nosso projecto, porém, o ano de 2020 foi marcado pela construção de maternidades, casas-de-espera para a mulher grávida, entre outros, em sete locais, o que foi feito sem interrupções, durante oito meses, que foram os meses de Março a Outubro desse ano.

Quarto, as Amizades, tanto profissionais como pessoais – estas têm sido a “cola” que nos mantém unidos. Este ponto é muitas vezes subestimado, geralmente considerado um dado adquirido, mas é a cola que mantém parcerias como esta vivas e saudáveis e por muito tempo.

O último factor de sucesso é trabalhar para um benefício Mútuo. Todas as partes, e especialmente as de Moçambique, deverão beneficiar deste relacionamento. Esses benefícios devem ser tangíveis e de eleição. Os benefícios tangíveis do nosso projecto para Moçambique e para os moçambicanos são muitos. Contudo, estes benefícios também vieram na outra direcção, vieram em direcção aos parceiros canadianos.

Comunidade de Savunguane e equipa do projeto

O Projecto de Saúde Materna Moçambique-Canadá está programado para terminar no fim deste mês – todas as actividades do programa serão encerradas a 31 de Março de 2024, e os relatórios do fim do projecto deverão ser entregues no prazo de três meses. Embora o projecto esteja terminar, não estamos no fim da caminhada. Os nossos compromissos com a parceria com Moçambique não terminaram, a amizade e as relações que construímos estão mais fortes do que nunca, e ainda há muito trabalho por fazer em Moçambique. Fique atento para ler nestas páginas as actualizações sobre para aonde, a seguir, iremos levar esta parceria global.

Até lá, muito obrigado e muitas felicidades!