O Estudo da Experiência Materna do Projecto está a chegar ao fim

Na semana passada, no Alto Comissariado do Canadá em Maputo, o projecto fez uma apresentação dos resultados preliminares do seu Estudo de Experiências Maternas (EEM). O EEM é um estudo qualitativo longitudinal sobre as experiências das mulheres rurais no domínio da saúde materna e reprodutiva. Baseado numa série de entrevistas aprofundadas ao longo de cerca de quatro anos com 20 mulheres das comunidades de Inhambane onde o projecto trabalha, o estudo foi concebido para envolver as mulheres na narração das suas próprias histórias, aumentando assim a nossa compreensão das suas vidas e problemas. O objectivo geral era identificar o que poderia ajudar a melhorar as suas vidas e propor algumas intervenções úteis. Um dos principais pontos fortes da investigação qualitativa é a sua descrição rica e as histórias e palavras das mulheres testemunham as suas dificuldades, os seus pontos fortes e os seus contributos.

Com o estudo a chegar ao fim em Março de 2024, os pesquisadores prepararam uma apresentação para discussão, intitulada O que dizem as mulheres? Ouvindo 20 mulheres de zonas rurais de Inhambane, o que descreve a metodologia do estudo e as conclusões preliminares. Com base numa abordagem feminista interseccional e de mudança crítica, o estudo procurou histórias de força e acção das mulheres dentro, e para além, das histórias de violência, opressão e desafio. Uma das ideias fundamentais que emergiu foi a contradição de que, embora as mulheres sejam as principais contribuintes para o sucesso social da família e da comunidade, são também as destinatárias de práticas que causam danos sociais.

O projeto divulgará em breve as suas conclusões. Prevê-se a elaboração de um relatório completo, bem como de peças mais curtas centradas em tópicos seleccionados e em propostas políticas. Estes documentos juntar-se-ão às ferramentas e apresentações realizadas ao longo do estudo.

Num estudo como este, a contribuição das nossas 20 participantes, que dedicaram tempo e tiveram a coragem de partilhar as suas histórias, é inestimável, e o projeto agradece-lhes. A pesquisadora principal do EEM foi a Dra. Sylvia Abonyi, da Universidade de Saskatchewan, e a analista principal foi Lise Kouri, pesquisadora de saúde qualitativa. Também contribuíram os membros da equipa do projeto no Canadá e em Moçambique.