Este mês, o Projecto de Saúde Materna Moçambique-Canadá teve uma série de destaques emocionantes relacionados com o aprofundamento da análise de experiências maternas das mulheres e a melhoria da igualdade de género na província de Inhambane, Moçambique. 

  Apresentação do Estudo de Experiências Maternas e diálogo político com gestores da DPSI.

Em duas sessões separadas de reflexão com gestores de saúde a nível provincial e distrital, o Projecto apresentou os resultados intercalares do estudo da nossa pesquisa qualitativa sobre experiências maternas. Ambas as sessões geraram discussões ponderadas e produtivas sobre o que precisa ser melhorado no sistema de saúde para melhorar as experiências das mulheres durante a gravidez, parto e pós-parto, e para reduzir a mortalidade materna e neonatal. Os resultados de base do próprio Estudo de Experiências Maternas (MES), levado a cabo por uma equipa de pesquisadores tanto do Canadá como de Moçambique, incluindo Dra. Sylvia Abonyi (Investigadora Principal da pesquisa), Denise Kouri (Consultora Estratégica do Projecto) e Dr. Nazeem Muhajarine (Investigador Principal do Projecto global), foram muito calorosamente recebidos por ambos os grupos participantes. Os resultados basearam-se na nossa primeira ronda de entrevistas com 50 mulheres de 10 comunidades parceiras nos 5 distritos alvo. Forneceram um quadro socio-demográfico das mulheres envolvidas no estudo, bem como uma ilustração perspicaz das suas vidas relacionadas com uma série de temas: relações familiares e conjugais, fontes de rendimento, educação, experiências de gravidez, apoio e acesso à cuidados durante a gravidez e o parto, envolvimento da comunidade e esperanças para o futuro. A segunda ronda de entrevistas de acompanhamento, com um grupo menor de 16 mulheres, teve lugar imediatamente antes da COVID-19 e ajudou a informar as apresentações feitas este mês. A 3ª e última ronda de entrevistas de seguimento, com 20 mulheres, está a começar agora. Os participantes da sessão observaram que, embora as graves dificuldades delineadas pelas histórias das mulheres não fossem, infelizmente, surpreendentes, o facto de se dispor de informação baseada em provas para documentar esses problemas ajudará a introduzir mudanças no sistema de saúde para trabalhar mais eficazmente com as comunidades. As próprias discussões serviram como diálogos políticos sobre a necessidade de cuidados humanizados reforçados – centrados no paciente, sensíveis ao género – em Moçambique, pelo que era especialmente importante que a investigação actuasse como um canal para que as próprias vozes das mulheres fossem ouvidas e consideradas nessas discussões.

Terezinha da Silva com uma parturiente, na maternidade de Chizapela

Além disso, o Projecto acolheu a colaboradora de longa data e especialista em género e direitos humanos, Terezinha da Silva, para facilitar sessões de reflexão com a direcção do Projecto e o pessoal de engajamento comunitário sobre a estratégia de género do Projecto, sucesso na redução da mortalidade materna e neonatal através do aumento da igualdade de género, e sobre o que focar para reforçar os direitos sexuais e reprodutivos das mulheres, daqui em diante. O trabalho de Terezinha incluiu sessões comunitárias com o comité da juventude e o comité de saúde em Marrange, Homoine e uma visita à recém-construída maternidade em Chizapela, Homoine. A troca de experiências de uma semana resultou em estratégias renovadas para combater o casamento e a gravidez precoce, em particular, e manter a forte liderança comunitária das mulheres.

Finalmente, a 28 de Setembro, Dia Internacional do Aborto Seguro, o Projecto co-organizou uma mesa redonda com o nosso principal parceiro, a DPSI (Direcção Provincial de Saúde de Inhambane) sobre o acesso ao aborto seguro. A discussão centrou-se na lei do aborto seguro em Moçambique e na disseminação de mensagens chave às comunidades para combater os abortos inseguros e assegurar que todas as mulheres e suas famílias conheçam os seus direitos e como aceder à cuidados de aborto seguro (consulte o nosso blogue de 28 de Setembro).